Início Pará Agentes de segurança são qualificados para atuar no policiamento escolar

Agentes de segurança são qualificados para atuar no policiamento escolar

Trinta e oito agentes de segurança pública do Estado participam, no Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará (Iesp), de um curso de especialização da Companhia Independente de Policiamento Escolar (Cipoe). A capacitação começou no dia 26 de fevereiro e vai até 23 de março, com aulas de segunda a sexta, nos turnos da manhã e tarde.

Os agentes de segurança estão sendo treinados para atuar na segurança junto às comunidades escolares do Estado. Este é o segundo curso que acontece para a qualificação do policiamento escolar do Comando de Policiamento Especializado, através da Companhia Independente de Policiamento Escolar (Cipoe). O primeiro foi em 2017, e qualificou 40 policiais.

São 16 disciplinas, como Compreensão da Evolução do Policiamento Escolar; Conceituação e Elementos Constitutivos da Violência Escolar; Primeiros Socorros em Ocorrências Escolares; Mobilização Social para Superação da Violência Escolar, entre outras.

Agentes multiplicadores - Dessa vez, o curso foi ampliado para outros agentes de segurança. Além de 33 policiais que já atuam na Cipoe, as aulas contam com três policiais (um de Paragominas, um de Mosqueiro e um do segundo batalhão da capital) e dois guardas municipais.

“Ter os guardas municipais como mais um braço desse projeto é fundamental, porque reforça um policiamento diferenciado, que é o policiamento escolar. Lidamos com um público diversificado, de crianças a adultos, da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e supletivos. E oferecer uma qualificação trabalhando questões humanas do agente de segurança é fundamental para auxiliar no nosso trabalho. Queremos transformá-los em agentes multiplicadores de conhecimento”, disse o capitão Fernando Lima, sub-comandante da Cipoe.

“Decidi fazer esse curso porque a gente recebe ensinamentos fundamentais para a nossa atualização, e é muito importante prestar esse apoio, ser mais um braço nessa integração com a Polícia Militar do Pará”, destacou o sub- inspetor Adriano Rayol, guarda municipal do município de Marituba, depois de participar da aula de tiro, uma das disciplinas do curso.

“É fundamental essa atualização, porque na nossa profissão existem mudanças de lei, adequação de novas formas de atuar, principalmente na área dos direitos humanos. Tudo acrescenta para a nossa capacitação”, disse o sargento Walber Cavalcanti, que atua há 18 anos na Cipoe.

“A grande ferramenta, que o Governo do Pará vem exercitando há muito tempo, é a integração, unir esforços entre nossos professores, o quadro técnico e a segurança pública como um todo para combater a violência dentro das escolas”, pontuou o coronel Roberto Campos, secretário adjunto de Logística Escolar, da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Cipoe - Criada para preservar a ordem pública nas escolas e impulsionar o combate à violência escolar no Estado, a Companhia Independente de Polícia Escolar (Cipoe) comemorou 27 anos na terça-feira, 13 de março.  A companhia atua com 100 policiais na região metropolitana de Belém. O policiamento é feito em quatro viaturas, cumprindo um roteiro de rondas, revistas e até palestras de prevenção nas escolas.

“Se não fosse a Cipoe, não sei o que seria de nós. Outro dia a acionamos porque vimos uma briga entre escolas ser deflagrada através das redes sociais. Ficamos com medo, mas a Cipoe entrou em cena minutos depois, para nossa tranquilidade”, disse Ribamar Saraiva Júnior, diretor da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dom Pedro II, no bairro do Marco.

Por Syanne Neno
Fonte:Agência Pará

COMPARTILHE